São Bernardo de Graciliano Ramos

Julho 20, 2006

São Bernardo é um romance publicado em 1934 pelo escritor alagoano Graciliano Ramos(1892-1953), principal nome do movimento literário brasileiro conhecido como Geração de 30, sendo a prosa deste movimento classificada como romance regionalista (Nordeste). Ao lado de Graciliano Ramos, outros escritores de destaque do movimento foram José Lins do Rego, Rachel de Queiroz, Jorge Amado e Érico Veríssimo. Trata-se de uma literatura de caráter construtiva, madura e com legado das conquistas estéticas da geração de 1922. Sua principal característica foi a denúncia social, retratando fielmente a realidade do nosso povo, em que as relações “eu” / mundo alcançam elevado grau de tensão.
A técnica de São Bernardo é marcada por uma linguagem dura, seca, fria e objetiva. Não há rodeios ou grandes momentos de descrição. Graciliano Ramos procura ser o mais objetivo possível e, ao contrário do que alguns possam achar, trata-se de uma escolha correta, pois combina perfeitamente com a estória narrada no romance. Não há uma palavra a mais ou a menos em cada passagem do livro.
São Bernardo é um romance narrado em primeiro pessoal no qual o narrador-personagem Paulo Honório em narra a estória de sua vida, desde sua ascensão à sua decadência. Nesta narrativa, nota-se que o protagonista a escreve com um único e claro objetivo: compreender a razão do suicídio de sua esposa, Madalena. Através de suas lembranças e da análise dos fatos , o narrador tenta alcançar seu objetivo. Não obstante, o leitor rapidamente nota que o narrador nunca obterá êxito em sua “empreitada”.
A narrativa de Paulo Honório demonstra incessantemente sua angustia, embora este tente, a todo custo, escondê-la. Embora durante toda a narrativa o narrador não relate que alguma vez tenha demonstrado seu amor à sua esposa, para o leitor não resta dúvida da existência deste. Talvez o orgulho de Paulo Honório seja a razão de sua frieza quanto a Madalena.
Na interpretação deste escriba, a incansável ambição de Paulo Honório foi o motivo de sua desumanização ao longo do livro. Primeiro foi a ambição de possuir a fazenda São Bernardo, de uma maneira nada ética e sem escrúpulos: Paulo Honório a obtêm através de um dívida não quitada. Contudo, o protagonista não consegue ver qualquer problema neste “negócio”, talvez por não ter infringido em qualquer momento a lei. A meu juízo, Graciliano Ramos através de Paulo Honório faz uma severa crítica aos capitalistas que, na visão do autor, por sua ambição por poder e dinheiro, não mede esforços para alcança-los. Depois veio a “posse” de Madalena, para usar as palavras do teórico João Luiz Lafetá: Paulo Honório trata seu casamento como um negócio, pois desejava ter um herdeiro para continuar seus negócios.
O crítico Antônio Cândido, sobre Graciliano Ramos, afirma que “[…] no âmago de sua arte, há um desejo intenso de testemunhar sobre o homem, e que tanto os personagens criados quanto, em seguida, ele próprio, são projeções deste impulso fundamental, que constitui a unidade profunda de seus livros”. Não posso atestar a veracidade de tal tese por ter lido pouco de Graciliano (apenas o romance aqui relatado e alguns contos), mas posso confirmar que no pouco que li trata-se da mais pura verdade.
São Bernardo retrata, ao contrário do que ocorre em Vidas Secas (também de Graciliano Ramos), os nordestinos que permanecem na sua terra. É o sertão nu, cru e com todos os ingredientes. Apesar desta abordagem, não se pode encarar a obra como apenas uma denúncia social, mas a descrição e análise da alma humana, assim como tantas outras obras da literatura universal. Dessa forma, São Bernardo nos apresenta como uma obra fundamental não apenas do Modernismo Brasileiro, mas de toda nossa literatura.

 

37 Respostas to “São Bernardo de Graciliano Ramos”

  1. Larissa Pereira Says:

    Tá aí…

  2. dd Says:

    perfeito!!

  3. beatriz Says:

    Se fosse maior seria melhor!mais dá pra se ter uma idéia do q se vai apresentar sobre o livro.

  4. Sarah Says:

    Ridículo esse resumo. Se não entende ou não tem visão plural dos acontecimentos, não escreve críticas.
    Sarah

  5. Sarah Says:

    A linguagem não é fria e nem dura, é simples somente, porém com beleza na sua simplicidade. O personagem não tenta entender a morte da esposa, mas tenta entender a ele mesmo, isso se chama fluxo de consciência. Entre tantas coisas que devem ser corrigidas nesses comentários.
    Sarah


  6. Sarah:

    Discordo. Creio que o protagonista tenta compreende a morte de sua esposa e a si mesmo. Ou melhor, entender a si mesmo através da morte da esposa.
    Quanto ao estilo da prosa de Graciliano, creio ser impossível não ver em São Bernardo uma prosa dura e simples. O que não significa que não tenha beleza.

    Obrigado elo comentário.
    Sérgio.

  7. Hailany Says:

    ficou muito bom uma obra com história interessate

  8. Camila Lourenço Says:

    Paulo Honório em conseqüência da trajetória de sua vida, o mesmo se mostra ser capitalista avarento, um homem que se faz por si mesmo, que se tornou superior à sua classe, passando de trabalhador braçal a proprietário. Para realizar esta travessia, foi necessária a sua desumanização o que prevaleceu o lado da brutalidade, que através da qual pôde exercer o domínio sobre os outros: matando, roubando, mentindo, trapaceando, desprovido de caráter e de qualquer ideal que se apresente ou se faça, o que o faz agir de modo tenebroso com relação às coisas e as pessoas que estão ao seu redor, se fingindo de amigo e de bom homem e se perdendo. Por isso é seca dura ela é na verdade densa pois Graciliano Ramos mostra a densidade quanto à sobrevivência humana e suas possíveis condições, revela ainda a pluralidade do homem enquanto SOCIAL e INDIVIDUAL.

  9. Pedro Augusto Says:

    Alguem sabe qual a época que aconteceu a história narrada por Paulo Honório?
    Obrigado

  10. Y Says:

    A história se passa na década de 1930(a crise retratada no livro é devido a quebra da bolsa de Nova Iorque e a revolução de 30).
    Eu interpretei que o narrador-personagem tenta entender ele mesmo… como a Sarah.

  11. leitor Says:

    tem alguma relação de SAO BERNARDO com a obra Paraísos artificiais (Paulo Henriques Britto)??

  12. FabíoLa Lopez Says:

    MuTo BoM!Vaaleu 🙂

  13. sarah Says:

    Gostei do coentario sobre o livro é uma historia interessante que tem muito a passar ao leitor graciliano é um otimo escritor

  14. suellen Says:

    adorei tudo isso!!!!!!!!!!!!!!

  15. ANDRÉINHA Says:

    ficou perfeito, ameeeeeeiiiiiiiiiiiiiii deu pra ter uma ideia do que vai se tratar essa
    obra…bjsssssssssssssssssssss teh mais………………..

  16. elijane Says:

    interresante
    gostei de le!!
    le ke vc vai gostar

  17. emilly Says:

    Paulo Honorio é exatamente um homem angustiado.Vê que sua existencia é vã, porém com a morte de sua esposa é que começa a decifrar sua personalidade nao necessariamente arrepender-se.

  18. emilly Says:

    Era um homem anguntiado e provocou angustia em todos a sua volta.

  19. Adilson Barbosa Says:

    Caros amigos, sou Mestrando em Letras e estou e constantemente estou estudando a obra e percebe que a cada análise surge um novo viéis de entendimento.

    Creio que Paulo Honório, semelhante à Bento Santiago de Dom Casmurro (de Machado de Assis), tenta entender-se a si mesmo e ao próprio sentido da vida, entretanto, mesmo após a morte da esposa, apesar de ficar o remorso da morte dela, PH não muda seus ideiais e sua atitute pois o individualismo continua. Podemos comprovar verificando que na escrita do livro ele acaba preferindo escrever sozinho, por não encaixar suas idéias com os demais.

    att
    Adilson

    • mary Says:

      concordo plenamente com a descriçao feita pelo mestre a cima,pois,apesar demostrar remorso pela morte da mulher nao muda seus ideais.

  20. andrecreation Says:

    Gostaria de saber que fim o autor dá ao filho de PH e qual o nome do garoto.
    Alguém pode me dizer por favor?
    Grata.
    Lillymay

  21. Sara Says:

    Tudo que eu precisava. Estou no 5º ano de Direito, e tenho que fazer um paralelo de uma obra da literatura brasileira, relacionada a “direito de propriedade” e ” posse”. Li o resumo do livro e achei que tinha tudo a ver. Essa análise vai me ajudar muito.

    Obrigada!

  22. Inuka Says:

    Acredito que ela tenha escrito o livro como forma de voltar ao passado, tentar se sentir menos culpado por todos os erros, tentar mostrar arrependimento – apesar de não conseguir. E também como forma de entender porque tudo o que aconteceu aconteceu…
    Gostei muito do resumo. 🙂

  23. Inuka Says:

    ele* (PH)

  24. raissa Says:

    esse livro foi muito publicado

  25. raissa Says:

    eu adorei tudo!valeu a pena

  26. josimar da Costa Says:

    ESSE LIVRO FOI O PIOR QUE EU JA LI EM TODA A MINHA VIDA. … ESSE LIVRO NAO PRESTA…

  27. leyce Says:

    sinceramente que livro compricado,e preciso de tempo e dedicação para le,e uma das obras literaria mais linda,minha nota 9……………

  28. Vitor Says:

    O nome do filho do Paulo Honório é Enzo e ele não dá a mínima bola para o filho, só ao dinheiro…

  29. maria alyne Says:

    so não encontrei quem é o protagonista da história…

  30. jana Says:

    o livro apesar de ter trechos de subjetividade,o realismo impera. retrata as condições do povoado passivo,sujeito as condições do meio em que vivem,juntamente narra o aspecto psicológico do eu lírico,seus conflitos pessoais,visto em paulo honório.o social e o psicológico estão evidenciados e em equilíbrio como poucos conseguiram!

  31. Mirian Says:

    A linguagem do protagonista da obra é dura e seca, e sua esposa morre para tentar salvar ele, pois ele acha que todos são objetos e tem seu preço.

  32. Mary . Says:

    Ixi!
    Nem pode colar :s

  33. ingrid Says:

    é um resumo muito bom
    bem objetivo
    😀

  34. eu Says:

    oh romance é bem legal fala das consecuencias da vida de qem pensa ser melhor do qe os otros e akaba maltratando qem esta ao seu lado
    mais depois qundo se depara sozinho ve qe aqeles eram emportantes na sua vida mais ja esta tarde mais para repensa no
    ato feito
    pessoas assim, so tem uma escolha mudar seus atos e demonstra qe realmente qer mudar

  35. Joe de Miami Says:

    Foi um resumo bem escrito, me ajudou confirmar o que analisamos na minha aula universitaria de literatura brasileira. Obrigado!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: