Israel usa urânio depledado em seus ataques em Gaza

Janeiro 8, 2009

Israel Using Depleted Uranium Against Gaza Victims
More evidence of war crimes being committed

Por Paul Joseph Watson
Prison Planet.com

Segunda-feira, 05/01/2009
Medics have found traces of depleted uranium in victims of Israel’s brutal attack on Gaza, according to a Press TV report, meaning the ultimate death toll could be far higher as future generations are plagued by cancers and birth defects.

“Norwegian medics told Press TV correspondent Akram al-Sattari that some of the victims who have been wounded since Israel began its attacks on the Gaza Strip on December 27 have traces of depleted uranium in their bodies,” states the article.

Following the conclusion of the first Gulf War in 1991, in which depleted uranium was used by U.S. forces, cancers and birth defects in Iraq soared and many veterans organizations agree that the weapon was responsible for the emergence of Gulf War Syndrome that has plagued hundreds of thousands of Gulf War veterans.

Depleted uranium shell holes at the infamous Highway of Death in Iraq showed measurements 1,000 times more radioactive than background radiation. The residue of a DU weapon can be spread by the wind and infect humans not in the immediate area as well as the entire food chain.

In 1999, the UN called for the use of depleted uranium to be banned worldwide but efforts to downplay its effects led by the Pentagon have blocked such a ban.

Former head of the Pentagon’s 1994 U.S. Army Depleted Uranium Project Maj. Doug Rokke has faced constant harassment, including murder attempts, after going public in 1997 to expose the health effects from depleted uranium that the U.S. government and the World Health Organization have consistently dismissed.

Israel’s use of depleted uranium against victims of the Gaza bombing campaign provides further evidence that war crimes are being committed with the tacit approval of both the current administration as well as president elect Barack Obama.

Tradução:

Médicos encontraram traços de urânio depledado nas vítimas do ataque brutal de Israel em Gaza, de acordo com uma reportagem da Press TV [N. T.: http://www.presstv.ir/Detail.aspx?id=80687&sectionid=351021708 ], significando que a maior estimativa de morte pode ser maior pelo fato de gerações futuras serem contaminadas por cânceres ou defeitos de nascimento.
“Médicos noruegueses disseram ao correspondente da Press TV Akram al-Sattari que algumas das vítimas que haviam sido feridas desde que Israel deu início a seus ataques na Faixa de Gaza em 27 de dezembro têm traços de urânio depledado em seus corpos” diz o artigo [N. T.: http://www.presstv.ir/detail.aspx?id=80443&sectionid=351020202 ].
Seguida à conclusão da guerra do golfo em 1991, na qual urânio depledado foi usado por forças americanas, cânceres e defeitos de nascimento aumentaram no Iraque e muitas organizações de veteranos que a arma foi responsável pela emergência da síndrome da guerra do golfo que contaminou centenas de milhares de vidas de veteranos da citada guerra.
Crateras de urânio depledado na infame estrada da morte no Iraque mostraram amostras 1000 vezes mais radioativas que a radiação de fundo. O resíduo de uma arma de UD pode ser espalhado pelo vento e afetar humanos ainda que não numa área próxima, assim como toda a cadeia alimentar.

As imagens abaixo mostram alguns dos chocantes efeitos do urânio depledado e como seu uso leva a horríveis defeitos de nascimento.

Em 1999, a ONU pediu para que o uso de urânio depledado fosse banido no mundo inteiro, mas esforços para menosprezar seus efeitos levados a cabo pelo pentágono bloquearam a possibilidade desse banimento.

Encabeçando o projeto de urânio depledado do exército americano de 1994, o Major Doug Rokke enfrentou agressões constantes, incluindo tentativas de assassinato, após ir a público em 97 para expor os efeitos que a substância causa na saúde que o exército americano e a organização mundial de saúde constantemente dispensaram.

O uso por parte de Israel de urânio depledado contra as vítimas da campanha de bombardeio em Gaza dá mais evidência de que crimes de guerra estão sendo cometidos com a aprovação tácita da administração atual [Bush] bem como do presidente eleito Barack Obama.

Tradução: Svartzorn Soares Maia Kouri

FONTE: http://www.prisonplanet.com/israel-using-depleted-uranium-against-gaza-victims.html

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: