O Luto no Sertão

Fevereiro 5, 2009

O Luto no Sertão
Por João Cabral de Melo Neto

Pelo sertão não se tem como
não se viver sempre enlutado;
lá o luto não é de vestir,
é de nascer com, luto nato.

Sobe de dentro, tinge a pele
de um fosco fulo: é quase raça;
luto levado toda a vida
e que a vida empoeira e desgasta.

E mesmo o urubu que ali exerce,
negro tão puro noutras praças,
quando no sertão usa a batina
negra-fouveiro, pardavasca.

Advertisements

2 Respostas to “O Luto no Sertão”

  1. ana cláudia Says:

    Ou seja neste sertão segundo o autor joão de cabral de m. neto , não se tem escolha
    ao nascer você já faz parte dessa vida dura que o sertão oferece.

  2. criscunha07 Says:

    Reblogged this on criscunha07 and commented:
    O luto chamado IGNORÂNCIA.
    Por Cris Cunha.
    Não se tem no Sertão como não viver na ignorância. Servidão.
    Tem jeito,mais calam minha voz, amarram a minha boca e nenhum grito é ouvido, como então posso salvar um povo cego de ignorância? EU não falo, eles não vêem.
    DEUS deu tudo ao BRASIL. Vc já leu sobre o continente africano? Assistiu DAFUR? NÃO né…
    Até quando DEUS de ISRAEL serás revelado nesse sertão? Dizer a verdade: “- Olha existe um lugar onde não havia água nada, mais a fé no DEUS sem nome, UNO como ti, fez emanar água, mel, pão.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: